07 fevereiro 2011

Dia Difícil



A volta à escola não está sendo nada fácil. Semana passada ele chorou muito desde a hora que soube que ia pro colégio até a hora que entrou. Lá, já no colo da Tia nova, ele parou. Mas, tenho comigo que ele para de chorar por vergonha, não por falta de vontade.
Depois que recebo a notícia de que ele parou de chorar, pego o carro e vou embora, acabada, arrasada.
É uma coisa muito cansativa e estranha. Tudo começa quando a hora do almoço vai chegando. Ele já sabe que depois de almoçar vai tomar banho e depois colocar o uniforme para ir à escola.
Então ele começa a chorar, inconformado, dizendo que não quer ir.Coloco seu uniforme com ele aos prantos e, quando acabo, ele me pede seu "pevesseiro","lencinho" e "urso" (travesseiro, fraldinha e edredon). Deita-se no sofá, acabado, triste, chateado. Ensaia um soninho, fecha os olhos e tenta bravamente me fazer desistir. Sempre resisto e o levo. Fico mal, acabada, sem energias...uma coisa muito ruim. Acho que é a dúvida se estou fazendo o certo, o bem pra ele, que fica me consumindo. Assim foram os dois dias de aula da semana passada. Mas, também foram a maioria dos dias de todo o ano letivo passado. Só nunca desisti porque, ao sair da escola, diariamente, ele chega feliz da vida, como se tivesse passado um dia maravilhoso. Mas, estou exausta disso...
Hoje, ele se negou veementemente a tirar a fralda que usa para dormir, alegando que não é criança, que é um bebê, e precisa da fralda. Conclui que preciso desfralda-lo à noite o mais rápido possível e sem ele perceber. Passamos quase a manhã toda conversando sobre isso e nada o convencia. Ficou então pelado pois não aceitou cueca nem suas roupas.
Na hora do almoço, seu Tio-Avô Daniel veio comer aqui, junto com o Papai. Quando eles estavam chegando lhe disse: Vamos colocar a roupa que o Tio Dani tá chegando. Ele aceitou, colocou correndo pois não recebe qualquer pessoa nem sem a camisa, quanto mais pelado...rs! Daí logo avisei: Vamos colocar essa roupa, depois vamos almoçar e depois tomaremos banho pra ir à escola. E todo o circo se armou de novo. E hoje cansei, entreguei os pontos, desisti. Afirmei que ele ia mas, confesso, fingi na frente dele uma ligação da escola dizendo que hoje não teria aula. E disse pra ele: Olha, é a Tia Marcia no telefone. Ela tá avisando que hoje não tem aula mas, que amanhã tudo volta ao normal. Ele sorriu, feliz e aliviado, e logo fechou a cara dizendo que amanhã não vai, não...
Ai meu Deus do Céu!! Me dê forças. Estou com as pilhas fracas e sem vontade de resistir, o que é pior. Mas, tomei a seguinte decisão: amanhã vou conversar com a Psicóloga da escola pra que ela me deixe mais segura, até para que eu passe essa segurança pra ele. Ela precisa acabar com minhas dúvidas...rs. Vou também conversar com a Tia nova e com a Assistente, que nem conheço ainda. Enquanto isso, o Google me deu essas dicas, que repasso por aqui pois sei de inúmeras mamães que estão passando pelo mesmo que eu, né, Pati...rs! São dicas bem legais e parecidas com as que recebi da escolinha do Lucca. Ah, se fosse tudo assim tão fácil...rs! Bom, meninas, força a todas e boa sorte nessa semana que está apenas começando...

1 - A decisão de colocar seu filho na escola deve resultar de atitude pensada, consciente e segura;
2 - A vinda da criança para a escola deve ser preparada; entretanto, evite longas explicações para ela, pois isso pode despertar suspeitas e insegurança;
3 - A separação, apesar de necessária, é um processo doloroso tanto para a criança quanto para a mãe, mas é superado em pouco tempo;
4 - Cuidados devem ser tomados nesse período de adaptação em relação a: troca recente de residência, retirada de chupeta ou fraldas, troca de mobília do quarto da criança, perda de parente próximo ou animalzinho de estimação;
5 - O choro na hora da separação é frequente e nem sempre significa que a criança não queira ficar na escola;
6 - A ausência do choro não significa que a criança não esteja sentindo a separação. Não force com violência e ansiedade a criança a ficar na escola;
7 - Evite comentários sobre a adaptação da criança em sua presença;
8 - Cabe à mãe entregar a criança ao educador, colocando-a no chão e incentivando-a a ficar na escola. Não é recomendável deixar o educador com o encargo de retirar a criança do colo da mãe;
9 - Nunca saia escondido de seu filho. Despeça-se naturalmente.
10 - A sala de atividades é um espaço que deve ser respeitado e sua presença nela, além de dificultar a compreensão da separação, fará as outras crianças cobrarem a presença de suas mães;
11 - Incentive a criança a procurar a ajuda do seu educador quando necessitar algo, para que crie laço afetivo com ele;
12 - Lembre-se que o educador atende às crianças em grupo, procurando distribuir sua atenção, igualmente, promovendo junto com a mãe a integração da criança;
13 - Se os pais confiam na escola, sentirão segurança na separação e esse sentimento será transmitido à criança, que suportará melhor a nova situação;
14 - O período de adaptação varia de criança para criança, é único e deve ser avaliado individualmente;
15 - Evite interrogatórios sobre o dia da criança na escola;
16 - Poderão ocorrer algumas regressões de comportamento durante o período de adaptação, assim como alguns sintomas psicossomáticos (febre, vômitos etc.)
17 - É comum verificar-se nessa fase uma ambivalência de sentimentos. O desejo de autonomia da criança e a necessidade de proteção ocorrem simultaneamente.
18 - Cuidado com a aparente adaptação. Os pais devem respeitar o período estabelecido pela escola.
19 - A adaptação das crianças de período integral inicialmente deve ser feita em um turno(manhã ou tarde).

20 comentários:

Gisele Fiedler disse...

Oi Gi!!! Sempre estou por aqui pois admiro muito seu blog e estava escrevendo exatamente sobre isso, rsrsss Tb estou passando pelo mesmo "drama", minha filha Luiza vai que é uma alegria ela está com 5 anos, já o Pedrinho(2 anos e 4 meses) só de ver a irmã colocando o uniforme já começa a falar "escola não mamãe, escola não mamãe" o meu drama já começa a na noite anterior pois sei que ele vai fazer eu tentar desisitir, e extamente como vc até rezei ontem a noite pedindo que mê dê essa segurança para passar a ele. Mas tudo isso é devido as férias, pois ano passado ele adorava a escola, ia numa boa...
É bom trocarmos experiências e ver que não somos as únicas e que isso vai passar...Aqui em casa tb foram dois dias de aula semana passada para "adaptação" e essa semana já entramos nos horários normais eles estudam de manhã...
Vou no carro conversando com ele, a Luiza me ajudando dizendo "a escola é legal Pedrinho, não chora não"
Mas o coração fica em pedaços, mas sei que logo ele pára, é mesmo na nossa frente e depoiss fica numa boa...
Vamos torcer para que nossos pequenos fiquem bem e que essa semana eles já se acostumam com a rotina escolar que com certeza ée muito boa para eles, né?

Um beijo e força nesse coração...estou fazendo o mesmo, rsrsss

Bjuu
Gi

Priscila Sant'Anna: disse...

Gi,

A coisa também não anda fácil por aqui. Semana passada fiz a adaptação da Bia, fiquei quase a semana toda na escola, na sexta quem ficou foi o pai.
Ela gostou muito da escola, mas diz que tem medo de ficar sozinha.
Hoje quando fui levá-la saí fugida! Era isso, ou tirá-la de lá de tanto que chorava.
Mas até agora não ligaram, então penso que tá tudo bem por lá...pq na semana passada a escola ligou.

Te confesso que dá vontade de deixar ela em casa, mas tbém penso que é melhor agora do que depois.

Bjs
Pri e Bia

Luana disse...

Amiga , passei por isso vários dias no ano passado , mas graças a Deus o Nathan se conformou e hoje ele até cobrar ir a escola , nas férias então ele perguntava todos os dias . Sei que é dificil mais ele se acostumará .
beijoss

Déia disse...

Nossa, que difícil!
Mas, ele deve ir, apesar do nosso coração ficar apertadinho...
É nessa idade q ensinamos valores, certo e errado, obrigações...Se cedemos, depois fica mais difícil..
Veja se nada de ruim acontece na escola, se essa é a escola certa para ele...

boa sorte

bj

Gisele disse...

Olá Gi querida.
Realmente é um drama e nós ficamos na dúvida se estamos fazendo o bem ou traumatizando os nossos filhos..
No ano passado, O Nícolas chorou por 40 dias seguidos, depois no final do ano ficou afastado por quase 2 meses. Nesse ano ele tem ido bem animado (o que tem me causado espanto). Converse com a Glau (psicóloga) e talvez ela te ajude muito. Não posso negar que um dos fatores que contribuiu muito para o choro dele no ano passado foi a minha dúvida e insegurança em relação à escola, sempre pensava: será que ele está pronto para essa nova fase????Afinal eles ainda são pequenos. Sei que sempre pensamos na sociabilização deles e no convívio com as outras crianças. Mas lembre-se que na nossa época, começavamos a frequentar a escola com 5 ou 6 anos e nem por isso fomos menos felizes ou tivemos alguma dificuldade de aprendizagem. será que esse é o momento dele??? Lógico que as férias e o convívio com a família ajudam muito no fracasso desse retorno. Mas pense bem e faça sempre o que o seu coração mandar. Afinal, você é uma excelente mãe e com certeza a sua decisão será a mais correta nesse momento.
Se eu puder te ajudar de alguma maneira é só gritar!!!Boa sorte nesse novo desfio.
Beijocas e fiquem com Deus.

Fernanda disse...

Vc não sabe como estou feliz com o seu post! Claro que não pelo que vc está passando, mas por saber que EU não sou a única!!! Comecei a adaptação do Felipe semana passada e não foi muito boa! Pior! Tivemos que interromper porque na quinta ele acordou doente e a pediatra não liberou o retorno ainda! E depois ainda vem o carnaval...ai, ai... Que dificil isso né? Eu tbm estou cheia de dúvidas e acho que isso acaba atrapalhando um pouco! Acho que tudo passa e se encaixa. Pensa que antigamente nem havia adaptação escolar. Minha mãe me deixou na escola com 2 anos...nem sei se chorei, sofri...não lembro de nada e não fiquei traumatizada! Bjo e vamos trocando experiências. Isso é muito importante e nos ajuda muito!

Mariza disse...

Gi, post bem informativo viu? Que dicas legais que você deu no finalzinho, amei!
Beijos

Bogart disse...

Recomendo a Encantadora de Bebês Tracy Hogg.
Os livros dela são otimos, tiram as duvidas, nos preparam para as proximas e mostram que tudo é muito simples. Basta paciencia..(:
Ajudaram bastante com minha priminha.
Um bjO, seu blog é maravilhoso. Costumo dá uma passada aqui sempre quando voce posta, fico nervosa esperando saber das novidade.
Boa Sorte Giovana.
Sua familia é linda! Parabéns.

Cida Kuntze disse...

Oi Gi!
Não é fácil mesmo ver eles chorando quando vão pra escola. Minha filha não chorou ontem, mas foi pro primeiro ano...tá grandinha já, mas tinham várias chorando, me cortou o coração.

Querida, você está no TOP FIVE do Recanto das Mamães Blogueiras na postagem de ontem. Vá lá dar uma conferida.
Beijinhos.

O mundo da Dani disse...

amigaaaaaaaaa passa lo recanto das mamaes blogueiras vc esta no top five....
bjussssssss

Anônimo disse...

Olá mãe :)
eu ligo mto pouco a psicologias e ligo mto à minha intuição e sabedoria de mãe ( sim, todas nós temos sejamos ou não mães, sejamos pouco ou mto instruidas bla bla bla :D ) !
Digo isto tudo pk tenho uma posição mto firme em relação a escolinhas, para mim são necessárias mas n são importantes na vida dum bebé, pode vir toda a gente contra mim mas eu n acredito na conversa da evolução e desenvolvimento.
Se a criança chora pk n gosta de lá estar, a meu ver é o sinal para n a forçar..
n acredito no metodo educativo pela "força", eu pelo menos n o uso em situação alguma.
E posso ter dizer com uma boca bem grande ke a minha filha é adorável, peste mas adorável hehe..e eu nunca a faria sofrer por ideologias por mto certas ke pudessem estar..
acho q qq criança precisa crescer para entender pk tem ke ir para a escola..antes dos 5 anos é mto cedo :))))
felicidades

Rosane disse...

Oi Gi, tudo bem?
Para mim e para a Maria também não está nada fácil. Ela está doente, com uma gripe forte, e não foi ontem e hoje. Se ela melhorar, levo até o final da semana, mas já estou sofrendo.
Sempre me questiono se fiz a coisa certa. Me dá uma tristeza quando deixo ela lá chorando....
Mas vou insistir mais um pouquinho.
Beijo,
Rosane.

Leia disse...

Gi, isso acontece com quase todas as crianças o Rafael esta me surpreendendo este ano ele tinha crises terriveis nos anos anteriores como ele sempre estudou pela manhã(o pai sempre achou melhor)era o terror acorda-lo cedo,entrar no banho,vestir o uniforme,se alimentar e muitas vezes quando estavamos no carro ele chorando aos berros dizia que queria fazer cocô lá voltavamos do ponto inicial.
Juro a voce que em muitas vezes pensei sim em desistir,mas eu não sei lhe explicar como, Rafael nesse ponto tem uma mãe muito orgulhosa heh,já no final de todo este processo desgastante entregava-o a tia ana,tia gisele,vendo que estava tudo ok.
aí sim eu entrava no carro e chorava igual ou pior que ele e me fazia mil perguntas enfim isso vai passar.Que DEUS lhe abençoe minha amiga quarida.

Anônimo disse...

A ida para a escola deve ser acompanhada de uma mãe calma e firme. Isto pode ser apenas uma fase, já que ele mudou de educadora. e necessita habituar-se a isso. Tente saber por outros meios como é essa educadora e a auxiliar, se são carinhosas, etc, pois a mudança de uma para outra pode te-lo perturbado. Claro que depois das férias é sempre difícil. A partir dos 3 anos a criança precisa socializar com outras e aí a escola tem um papel importante, mas não único. Vai correr tudo bem, tenha confiança e pergunte a ele por que motivo não gosta de ir para a escola. Explique tudo o que vai acontecer nesse dia,para ele estar a contar com o «programa do dia».
Um beijo Grande.
Raquel

Dri disse...

Oi Gi, sei bem o que vc está passando... o Cai também chorou nos primeiros dias, mas agora já esta se acostumando... Força amiga. BJÂO

sheyla disse...

Oi Gi, tenho um filhote lindo que mês que vem completa 3 anos, esta na escolinha desde o ano passado,(setembro, já que aqui na Espanha, o ano letivo começa em setembro e termina em junho) no começo foi difícil (2 semanas mais ou menos) e hj ele pede para ir ao cole, até nos fins de semana, me pergunta a que horas vai para o cole. Sorte e nao desista! Beijos

Isa e Sara disse...

Ola, acompanho sempre seu blog mas é a primeira vez q. escrevo aqui...
Bom, tb estou passando pelo mesmo drama...Ano passado a Sara frequentou a escolinha até setembro (pq depois mudamos de cidade e achei q. seria muita coisa nova pra ela, casa nova, cidade nova, escola nova...) e ia super bem, não chorava e foi hiper tranquilo a sua adaptação...Ja este ano, a coisa mudou de figura..Ela grita, esperneia, fala q. naõ quer ir de jeito nenhum...Hj até pra colocar o uniforme foi complicado...Mas igual acontece c/ vc qdo vou busca-la esta super bem..!!! Acho q. meu pior erro foi não te-la matriculado em outra escola, mesmo no fim do ano passado, pq depois de 4 meses muuuuuito grudadas ela só quer ficar comigo! E estou eu aqui tb c/ meu coração na mão..Será q. ela precisa passar realmente por esse estress...Sera q. é uma fase passageira....Sera q. vale a pena...Bjosss pra vcs!

Fernanda disse...

Gi, na nossa epoca a crianca ia pra escola com 6 ou 7 anos...e eramos criancas felizes e tinhamos tempo pra cuirtir esta primeira infancia em nossas casas, com nossas familias, primos, vizinhos e sinceramente quem ja trabalhou em escolinhas, como eu, sabe que nem sempre as coisas sao como parecem ser...Talvez o que o Lucca precise hoje seja de voces com eles..e dificl, mas temos geracoes inteiras que nao foram as escolinhas desde os dois anos e sao inteligentes, sociaveis, amigos e felizes..que trazem lembrancas das trades na casa das avos, dos desenhos...ele so tem tres anos e e uma riqueza de ver!

Anônimo disse...

Gi concordo plenamente com a fernanda,vc trabalha fora???se não,deixe ele mais com vc,ainda pé muito novo,mesmo filhos sempre foram desde pequenos mais por eu trablahr dia todo,mas não acho necessario esse estress todo tão cedo,pense nisso bjs Élis

Anônimo disse...

Interpretação altamente aqui, textos como aqui está emotivam aos que reflectir aqui :/
Entrega mair quantidade do teu blog, a todos os teus visitantes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...