16 outubro 2007

Exercícios físicos na gravidez

Não restam dúvidas de que a gestação é um dos mais belos períodos na vida da mulher e que, por isso, deva ser vivenciado positivamente. Os exercícios físicos, neste contexto, devem aparecer como coadjuvantes para a manutenção do bem-estar. Mas se há intenção de se exercitar, é importante que a gestante converse com seu obstetra, seja orientada por ele e obtenha sua aprovação antes de procurar educadores físicos ou fisioterapeutas especializados e capacitados para o acompanhamento gestacional. Além do alívio de sintomas comuns, como estresse, irritabilidade e sono inadequado, os exercícios durante a gravidez podem promover melhorias na tonificação muscular, com repercussões positivas sobre a postura e a adaptação ao novo centro gravitacional, agindo, assim, diretamente sobre as habituais dores musculares e articulares referidas. Ocorre, também, um maior desenvolvimento da consciência corporal, o que torna mais fácil, por exemplo, lidar com o aumento progressivo das mamas e do abdome, pelo crescimento fetal. Ainda, há indícios de que, tardiamente, os exercícios físicos possam colaborar para a redução da duração do trabalho de parto, o favorecimento da via vaginal e uma recuperação puerperal mais precoce e saudável. Na evolução gestacional de mulheres que praticam atividade física, é provável que eventos adversos como hipertensão arterial gestacional, varizes em membros inferiores, tromboembolismos e diabetes tenham menor incidência, e que existam melhorias das trocas gasosas e da resposta cardiovascular às alterações gravídicas fisiológicas. Mas embora os benefícios sejam sempre esperados, a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, em 2000, frisa que a prática de exercícios físicos durante a gestação somente é adequada na ausência total de anormalidades e doenças prévias, após avaliação médica especializada. Naturalmente, programas de exercícios físicos para gestantes diferem dos aplicados fora da gravidez. É importante ter em mente que não devem objetivar a perda de peso ou a formação de grávidas atletas, mas, sim, uma passagem mais harmoniosa e saudável pelo ciclo gravídico-puerperal. De maneira geral, esquemas de menor impacto são os mais indicados, evitando cargas demasiadas sobre as articulações, movimentos bruscos ou que ofereçam risco de trauma abdominal, aceleração excessiva da frequência cardíaca, exaustão e desconforto físico. Ainda, o programa deve contemplar membros inferiores, glúteos e musculatura lombar, corrigindo a postura e favorecendo o retorno venoso. Os exercícios na piscina podem ser opções interessantes, desde que sejam adequadas a temperatura da água e a profundidade. A hidratação pela ingesta hídrica deve ser reforçada por sua extrema importância para a reposição do que é perdido no suor e na respiração. A ocorrência de dores, sangramentos ou perdas líquidas vaginais, desmaios e tonturas, dificuldades respiratórias ou visuais, contrações uterinas ou quaisquer outros sinais e sintomas agudos devem ser prontamente comunicados ao obstetra, pois necessitam de avaliação, não se devendo adiar a procura da assistência. Apesar de aparentemente escassas, as complicações obstétricas podem aparecer e longos espaços entre uma primeira intercorrência e o exame médico podem resultar em conseqüências desagradáveis. Não havendo situações urgenciais, eventuais alterações no desenvolvimento fetal ou da saúde materna ao longo do pré-natal serão identificadas pelo obstetra, que avaliará a readequação (ou mesmo a suspensão) dos programas de exercícios, em caso de necessidade. Enfim, com a supervisão de uma equipe multidisciplinar, composta por médicos e enfermeiras obstetras, fisioterapeutas e educadores físicos, e obedecidos cuidados essenciais e características individuais, os exercícios podem ser praticados até momentos antes do parto e já no puerpério imediato, proporcionando harmonia e bem estar à mãe e, conseqüentemente, ao feto e ao recém-nascido. Comungam da mesma opinião a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, e o Sports Medicine Australia.

fonte: Dr. Bruno R. de Carvalho - ginecologista e obstetra

Um comentário:

PATI disse...

Amei a foto!!!! Incrível como todas as fotos vc sai bem!!!!!
bjooooooooooooooos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...