17 abril 2011

Com Vocês, a Dona Febre

“Dê-me febre, e posso curar todas as doenças” – Hipócrates

Todas as vezes que o Lucca apresenta um quadro de febre, me sinto tentada a postar sobre esse assunto. Isso porque ainda rolam muitas dúvidas a respeito dos motivos de se ter febre e, principalmente, que ela não é tão ruim como todo mundo imagina. Eu, euzinha, sigo os conselhos do Seo Padeiro, Pediatra do Lucca, e só entro com antitérmicos após ela bater os 38 C. E olhe lá...
Então, costumo agir assim: deixo a defesa do corpo dele atuar um pouquinho. Vou observando o seu comportamento e controlando a temperatura. Quando vejo a necessidade, entro com o antitérmico mas já fico super atenta a outros sintomas que possam me esclarecer o motivo da febre ter aparecido. E isso, meninas, é o mais importante. Não basta somente baixar a febre. Precisamos descobrir porque ela apareceu para tratar esse motivo. Senão, a gente baixa a temperatura com o antitérmico e o corpo fica a mercê dos invasores!
Encontrei um texto da Dra. Colleen Huber, traduzido pela amiga Pat Feldman do "Crianças na Cozinha", onde podemos aprender coisas interessantes e muito úteis para cuidar dos nossos bebês.
Lógicamente que cada um trata a febre conforme indicação de seu Pediatra mas, não custa nada a gente ler para aprender. Peguei algumas partes do texto que achei interessante:

Muitos pais consideram a febre por si só perigosa. Alguns pais têm tanto medo, que só da temperatura do seu filho aumentar para 37 graus, eles dão a ele uma substância tóxica ao fígado, como acetaminofeno ou iboprufeno. Pior ainda são alguns pais que dão aspirina aos seus filhos a qualquer sinal de febre, o que os expõe a um risco perigoso de desenvolver a Síndrome de Reye, que exige tratamento para o resto da vida.
Como a febre tornou-se uma condição tão perigosa aos nossos olhos, a ponto de colocarmos em risco o bem estar das nossas crianças só para baixá-la?
Vamos primeiro considerar as funções da febre e como ela funciona. As duas funções da febre são:
1.Estimular o sistema imunológico.
2.Criar um meio “desagradável” para organismos invasores. Isso significa tornar a temperatura alta o suficiente para que os micróbios invasores não sobrevivam.

Tipicamente, quando qualquer tipo de micróbio invade o corpo, ele é comido vivo pela primeira linha de defesa: macrófagos (os “grandes comedores”). Os macrófagos então recrutam outras células do sistema imunológico e fazem a interleucina um(IL-1). IL-1 é um dos muitos pirógenos endógenos, o que significa que é uma parte do corpo que dá o sinal para que a temperatura seja aumentada.

Como a febre é feita
O IL-1, junto com outros pirógenos e proteínas é lançado na corrente sanguínea e segue para o hipotálamo no cérebro.
O hipotálamo age como um perfeccionista quando diz que a temperatura corporal deve ser exatamente 36,5 graus. Ele também nos diz que nossos hormônios devem ser mantidos em quantidades fixas na nossa corrente sanguínea. Então quando o hipotálamo recebe o sinal da IL-1, ele fica sabendo que a temperatura corporal normal não é mais suficiente para manter o bom andamento do organismo.
Agora nós temos a mais incomum circunstância de vários patógenos invasores, e em momentos extraordinários como este, a temperatura deve se elevar em alguns graus se queremos nos ver livres do mal e manter nosso organismo saudável. Então o hipotálamo produz outra substância química, o PGE-2. O PGE-2 então aumenta a temperatura do corpo até, vamos dizer, 38 graus ou qualquer outra temperatura determinada pelo hipotálamo, suficiente para proteger o corpo do invasor.
Então como o corpo realmnte aumenta a temperatura, uma vez que o hipotálamo determinou que isso se faz necessário?
Se ainda estamos saudáveis e dispostos o suficiente para deixar as coisas chegarem neste ponto (ou seja, não entrarmos com o antitérmico), então nossos mecanismos geradores de calor incluem o seguinte:
•Tremor
•O hormônio TRH
•Vasoconstrição
Outro mecanismo que toma parte é a “piloereção” (arrepios), que está associado à supressão do suor. Suor é um mecanismo de resfriamento do corpo, então agora que temos calor sendo gerado, não querermos perdê-lo (o calor). Isto resulta numa fantástica sinergia de mecanismos de auto-cura em nosso organismo – uma verdadeira sinfonia de respostas coordenadas respondem à febre.

Os benefícios da febre
•Mais anticorpos – células treinadas para atacar especificamente o tipo exato de invasor que está atrapalhando nosso corpo – a febre aumenta mais a produção dos anticorpos do qu qualquer remédio químico.
•Mais glóbulos brancos (os “bons moços”) são produzidos, circulando, mobilizando e armando para lutar e expulsar os invasores.
•Mais “interferon” é produzido (um outro “bom moço” do sistema imunológico, que bloqueia os vírus de se espalharem pelas células saudáveis).
•Aumenta a temperatura corporal, o que efetivamente mata micróbios. (A maioria dos vírus e bactérias efetivamente crescem melhor abaixo da temperatura corporal, é por isso que eles gostam dos nossos narizes gelados no inverno). Papais e mamães, não são seus filhos que estão pedindo um anti-térmico para baixar a febre, são os germes!

Tratando a febre de uma forma natural
O tratamento natural é para manter a febre, a não ser que ela suba muito ou muito rápido. Uma febre de 38,7 C a 39,5 C é considerada uma defesa excelente contra micróbios. Temperaturas como esta também curam o corpo de forma mais efetiva. Manter a febre significa trabalhar pela cura. Por exemplo, um efeito da febre é reduzir o movimento peristáltico, que é o movimento da comida no intestino.
Em caso de febre,  os médicos naturalistas recomendam consumir alimentos como caldos e água até a febre cessar. A febre também é melhor suportada com descanso. Mesmo quando a criança aparenta sono, o seu organismo está trabalhando a todo vapor, para executar todas as funções descritas acima.
Exercícios e outros tipos de atividades distraem a energia do corpo para este processo de vital importância do sistema imunológico. Os naturopatas olham para a doença enquanto o corpo tenta se curar. Ale’m do mais, é melhor ajudar as defesas do organismo, e não suprimi-las com exercícios ou trabalhos nessas horas.
Os naturopatas comparam o medo dos sintomas de febre com aquele medo que você sente quando vê uma luz diferente acesa no painel do seu carro. A luz diz que tem algo errado, mas apagá-la simplesmente não resolve o problema que a fez acender. Baixar a febre é como apagar a luz do painel sem consertar o problema que a fez acender. O certo é consertar o problema, desta forma a luz automaticamente se apaga. Os pais deveriam se perguntar como eles podem enxergar os sintomas de seus filhos de forma lógica e racional como eles enxergam o problema com a luz do carro: será que nós realmente queremos suprimir os sinais de alerta do nosso organismo?
No caso da febre, o sinal de alerta é muito mais uma ajuda para se defender da doença do que a fonte de doença propriamente dita.

6 comentários:

Marcia disse...

Gi, você está certissima! Eu também não abaixo a febre do Gustavinho, a não ser que ele esteja se sentindo mal. Graças a essa conduta ele nunca precisou de nenhum antiobiotico! Parabéns pela conduta! Beijinhos!

Márcia Gomes disse...

Excelente artigo Gi.
Eu tb entrei neste grupo q antitérmico só quando a criança está mesmo muito em baixo ou quando percebemos que o aumento da temperatura é muito rápido.
Também não conseguia entender o pq de "parar"a febre se era isso que esterminava o invasor...o bom é que aparecem pediatras que nos dizem exatamente o pq de tudo e não simplesmente nos passam uma receita de antitérmico.
Beijo grande

Confissões de uma mãe de primeira viagem disse...

melhoras pro Lucca Gi.
Aqui eu medico após 37,5, conforme a pediatra falou, mas gostei do texto, esclarece muito sobre a temida febre!
bjos

Mariléia da costa disse...

Gi no caso do Rafa a maioria das vezes é garganta e nesse caso só é febrão, ñ é preciso matar essa bactéria ou buscar um tratamento q com certeza o antibiótico vai estar nele?
já estou cansada de tratar essa garganta com antibiótico (amidalite).

bjs linda.

RENATA disse...

Adorei o post!
Eu sou uma dessas que passou dos 37 já se desespera! Tento não ficar medicando à toa, mas depois de ler essa matéria, vou tentar ficar mais tranquila!!!
Obrigada por compartilhar!!!
Beijinhosssssssss

Eliane disse...

Amei o post!
Essas informações são importantíssimas e devem ser divulgadas!
Parabéns pela inciativa!
Beijos,
Eliane e André

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...