11 maio 2010

Tipo ♥ Amor de Mãe ♥

Nós, mulheres, temos um enorme potencial de amor pra dar dentro da gente. Desde pequenas desenvolvemos, de forma inata, práticas de proteção e carinho com outras pessoas e com outros seres. E, quando a maternidade chega, isso aflora de vez através daquilo que podemos chamar de "amor de mãe", puro e simples. O amor de mãe é dos melhores que se pode ter, pra dar ou pra receber, pois é incondicional, irrevogável e incomensurável. E conforme o tempo passa após nos tornarmos mãe, esse amor vai dominando a nossa personalidade de um jeito que nos transforma e passamos a ser mães de vários outros jeitos, além de mães dos nossos próprios filhos. Passamos a sentir um amor mais terno pelos nossos semelhantes e acabamos nos tornando um pouco mãe das nossa mãe, do nosso marido, mãe até de gente que a gente nem conhece. Amor de mãe é coisa divina e seria capaz de salvar o mundo.
Pensei nisso porque neste Dia das Mães, viajei ao sul de Minas Gerais para conhecer e batizar meu sobrinho Gabriel, filho da minha querida irmã Simone. Por circunstâncias da vida, há quase trinta anos que minha mãe não passava o Dia das Mães com as duas filhas juntas. Então, esse encontro teve um significado muito especial para as três e só nós sabemos o quanto foi importante! E me coloquei então no lugar da minha mãe e quase morri de emoção ao pensar no que ela deve ter sentido ontem.
E isso foi coroado pela frase da minha mãe na viagem de volta à Santos:-"No fim, nessa correria, nem te dei presente de Dia das Mães".
E eu respondi:-"Mas eu não sou sua mãe, porque queria me dar presente?"
E ela disse: -"Sei lá...foi inconsciente".
Perfeito, porque eu realmente me sinto mãe de todas as pessoas que amo e muitas vezes arco com tarefas e responsabilidades que nem poderia, apenas para vê-las felizes. E isso me faz feliz, o que é o mais importante. Afinal, ser mãe não é padecer no paraíso?
O que estou querendo dizer neste post é que o mundo visto pelo olhar de uma mulher que já é mãe, por qualquer via de parto - normal, cesárea ou adoção, é diferente, não há como negar. Já passamos para outro estágio de evolução, uma vez que abrimos mão de várias coisas que eram importantes pra nós apenas para amar outro ser, prepará-lo para a vida e cuidar dele. Deixamos de ser egocêntricas (no melhor sentido da palavra - se for possível me entender) ou egoístas pelo amor, sem nem saber se vai dar tudo certo no final. Isso é demais, não é pra qualquer pessoa. E deve-se estar preparado. Porque decepções e frustrações podem aparecer no meio do caminho. E quem não souber lidar com isso ou não estiver preparado, não deixará um bom legado para o futuro, não criará seu filho, ou o amará, como deve ser feito.
Por isso, ser mãe de verdade, em todos os sentidos, é uma tarefa árdua. Mas extremamente gratificante. Fecha-se uma porta para abrirem-se varias outras.
Acredito que Deus escolhe a dedo quando colocar uma criança em sua vida e de que forma isso vai acontecer.
♥ ♥ ♥

A todas as mamães, meus parabéns, de coração. Vocês são demais!
A todas as tentantes, aguardem e tenham paciência. A hora certa e o jeito certo vão chegar!
E a todas aquelas que não desejam a maternidade, sigam seus instintos e sejam felizes!

Beijinho especial à querida Sofia do blog A Cegonha Cor de Rosa: só quem enxerga como nós pode ver aquilo que nós duas sabemos, minha flor. Fique legal, tá?

8 comentários:

Sheila disse...

Lindo, lindo...

concordo em 100%!!

Posso imaginar como esse reencontro foi especial...sabe que apesar de ser uma data comercial e coisa e tal 'e um dia de paramos um pouquinho e nos dedicarmos a quem a gente ama... isso que 'e amor não 'e:

beijos!

Sheila

ps: To te linkando no meu blog ok:

Re disse...

Nossa Gi, que texto lindo. Eu nao sou mae ainda, e acabei de perder a minha mae, mas ao ler seu texto eu vi a minha mae nele, e só espero que o dia que eu for mae, eu consiga ser assim. Bjs

Tatiana Bonotto Cake Designer disse...

Estou a cada dia mais apaixonada pelo blogs q venho visitado para divulga o meu...e percebi q estou perdendo tempo de não ter feito um para meu filho....
em breve estarei compatilhando os meus momentos.


Adorei..seu blog...estou navegando pra divulgar meu blog.

Visite meu blog e se gostar vai ser um prazer ter sua companhia.

bjs

www.tatidesignercake.blogspot.com

NANCI disse...

GIOVANA, LINDO ESTE AMOR DE VOCES, MÃE E FILHA, UMA CUIDANDO DA OUTRA SEM COBRANÇAS. BEIJOS.

Eliane disse...

Que post mais lindo!
A materinidade é mesmo uma condição muito bacana! É impressionante como ela muda muito nossa maneira de lidar com as pessoas a nossa volta! Estou amando muito essa fase da minha vida!
Beijão,
Eliane e André

Ana Cristina disse...

linda mensagem, é assim mesmo que me sinto depois que fui mäe, näo consigo mais passar por uma criança, e näo fazer um carinho ou simplesmente dar um sorriso, parece que nos tornamos mäe de todos, foi aí que simplesmente entendi o ditado "coraçäo de mäe sempre cabe mais um", antes de ser mäe näo entendia a essencia deste ditado.
Outra coisa interessante é que mäe é tudo igual mesmo, pois vc acredita que minha mäe, me da presentes no dia das mäes? A primeira vez que ela deu achei estranho, assim como vc com o comentário da sua mäe, mas agora acostumei.

Maria Luiza, minha vida!!! disse...

Que Lindo Gi!
Me emocionei com seu post e me fez refletir demais!
Grande beijo!
Rafa

Kamila Vieira disse...

Parabéns Mamãe!
Seu post está maravilhoso e muito emocionante. Fiquei bastante comovida.
O amor que sentimos após a maternidade é realmente algo divino e sem explicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...