30 junho 2009

O 1º Dia do Décimo Oitavo Mês da Sua Vida

Ontem nosso Pitoquinho completou seu 17º e entrou no 18º mês. Tudo está correndo dentro dos conformes e da normalidade, porém, agora já é hora da gente se preparar para o que vem aí: os 18 meses, uma fase de desenvolvimentos importantes, pois dos 18 meses até os 02 anos, segundo especialistas, ele progredirá do grito aleatório à fala (e ele tem uns pulmões!... haja ouvidos!!) e conseguirá falar algumas palavras, terá novos avanços, novas reações, novas dificuldades e, naturalmente virão novos desafios para nós, que iremos aprendendo a enfrentar aos pouquinhos e com calma, sem pressa ou estresse.
Como um dos meus "conselheiros" é o Google, pesquisei muito e encontrei no HowStuffWorks (site sério e confiável) a matéria que precisava e que julguei importante dividir com vocês:

"Nesse período (de 18 meses a 02 anos) a criança aprende a falar. Com o feito vem um grande senso de individualidade, e mais algumas mudanças não tão bem vindas. O comportamento do bebê envolve todos.

Língua

Quando o seu bebê consegue comunicar algumas idéias a você, sua função de criá-lo se torna mais fácil. Você pode perguntar o que está errado e ele responder. O conhecimento que ele possui de apenas algumas palavras pode ir longe, você não precisa mais ler a mente dele e tentar adivinhar o que o está incomodando.








Bebês muito mais novos utilizam gestos e palavras únicas para fazer entender suas vontades e necessidades. Seu bebê pode ter desenvolvido alguns gestos próprios para expressar diferentes vontades. Muitos bebês de dezoito meses têm comando sobre uma série de palavras. Essas palavras soltas podem significar sentenças completas. Alguns bebês dessa idade combinam palavras, utilizando duas ou três diferentes.
Pais espertos se utilizam da habilidade natural de seus bebês de absorver uma língua para tornar seu trabalho mais fácil. Em um exemplo, uma mãe era tão rápida para pegar tudo para o bebê que ele não precisava falar nada. Todas as suas necessidades eram atendidas sem muito esforço da sua parte. Quando o médico sugeriu que ela esperasse o bebê pedir pelo que queria, o menininho passou a conversar em frases de cinco palavras. Nesse caso, a mãe estava sendo eficiente demais ao ler os sinais de seu filho.
Se você tem preocupações sobre o desenvolvimento lingüístico de seu filho, discuta-as com o pediatra. Bebês que tendem a ter infecções no ouvido eventualmente têm perda de audição. Se você suspeita de que seu bebê não te escuta ou não entende o que você diz, você deve verificar o que está acontecendo. Algumas vezes, crianças têm problemas de comportamento devido à má audição. Crianças podem ser particularmente difíceis de lidar quando não escutam o que você diz.
Para alguns bebês, ter a palavra na cabeça, mas não saindo corretamente, pode ser uma experiência bem frustrante. Existe muita coisa que eles querem dizer mas não sabem como. Para ajudar seu filho, tente não pressioná-lo muito para falar palavras corretamente. Muitas exigências internas e externas são colocadas sobre o bebê de quase dois anos. Esses jovenzinhos não apenas estão tentando dominar o mundo direito, como também estão tentando se tornar usuários competentes da língua. Essa é uma época quando incentivos sutis, segurança e limites firmes são necessários.

Egocentricidade

Aos dezoito meses de vida seu bebê tem uma visão egocêntrica do mundo. Ele vê a si mesmo como o centro do universo e é incapaz de ver o mundo sob os olhos de outra pessoa. O termo egocêntrico, normalmente utilizado para se referir a adultos que só pensam em si, também descreve a visão de um bebê de sua posição de poder no mundo: ele também acredita que o mundo gira ao seu redor.
Nessa idade o bebê reconhece que os pais podem fazer tudo por ele. Os adultos servem a um propósito para os bebês: eles são um meio para um fim. Contudo, enquanto que adultos podem dar aos bebês o que eles desejam, eles também podem fazer exigências e estabelecer limites, o que pode ser fonte de conflito. Por exemplo, uma mãe pode pedir a seu filho que domine habilidades de vida independente (como largar a mamadeira à noite, utilizar copo e colher e utilizar o pinico) antes de ele achar que está pronto.
A alimentação pode ser um campo de batalha potencial para pais e filhos, com o bebê normalmente vencendo. Bebês podem utilizar a situação da alimentação como uma maneira de controlar os pais. Uma abordagem mais tranqüila, permitindo ao bebê escolher a comida e não forçando-o a comer comidas que detesta, pode prevenir problemas de alimentação posteriores. Você pode utilizar alguns truques, como disfarçar as comidas que o bebê não gosta com sabores que agradam, molhando um vegetal em iogurte ou requeijão cremoso, por exemplo.
Conflitos sobre a habilidade de cuidar de si próprio normalmente recaem em questões de dependência e independência. Algum tipo de equilíbrio tem de ser alcançado entre a dependência do bebê e o seu crescente desejo pela independência. Não existe um momento único, porque as crianças lidam com suas habilidades de desenvolvimento no seu próprio ritmo.

NÃO!

Uma das primeiras palavras que o bebê aprende é "não". Bebês normalmente dizem não ao seu pedido mesmo quando significa sim. Alguns dizem que é mais fácil para o bebê balançar a cabeça para os lados ou para cima e para baixo, mas desafio certamente é o nome do jogo. Todos já vimos bebês de dois anos terem ataques de raiva no meio de uma loja porque não ganharam o que queriam. Esses ataques são perturbadores e embaraçosos, mas são todos parte do crescimento. Embora nunca fácil de se lidar, eles são inevitáveis e todo pai passa por isso. E, sim, a fase irá passar.
Esta etapa é caracterizada por uma grande quantidade de oposição. É como se a criança tivesse de fazer o oposto simplesmente como uma comprovação de sua independência. Esse é um passo muito importante do desenvolvimento para a sua criança. É um atestado de que ela tem um senso de si mesma como um indivíduo. Esses tempos difíceis são importantes para ela se separar de você e começar a se tornar uma pessoa distinta.
Como tudo mais no desenvolvimento, o momento varia de criança para criança. Isso é conseqüência da habilidade dos pais e da criança de conversar sobre o que ela está sentindo, pensando ou querendo. Pais podem explicar muito para a criança acalmando uma situação potencialmente explosiva. Outras vezes, essas explicações são completamente desnecessárias, em parte porque o bebê não possui o nível de compreensão necessário para saber do que você está falando. Além disso, algumas vezes a sua criança simplesmente não irá desistir. É muito importante que os pais sentem-se e conversem um com o outro de forma a estabelecer prioridades, como o que vale uma briga e o que não.

Reações de separação intensas

Embora seu bebê já tenha tido algum tipo de medo de desconhecidos, ele desenvolve reações mais intensas pela separação. Deixá-lo com uma babá ou em uma creche pode ser muito mais difícil. Lembre-se que levar um brinquedo ou objeto favorito ajuda nessas separações. O medo de novas situações resulta da inexperiência da criança em relação a elas.
Padrões de sono estabelecidos podem ser interrompidos nessa etapa. Boa parte do dia é gasta com atividades motoras, correndo e andando, e quando chega a noite seu filho estará cansado demais para ir para a cama facilmente. Além disso, não se surpreenda se ele começar a acordar no meio da noite novamente. Isso pode ser devido ao fato de que o bebê está com medo de estar sozinho. O medo da noite começa próximo dos 18 meses de idade e pode continuar durante o terceiro e quarto ano, mudando em intensidade e conteúdo. Bebês de três anos normalmente contam os sonhos que os acordaram.
Nesses primeiros anos, seu bebê não sabe o que é real e o que é fantasia, de forma que passar a noite sozinho e com sonhos pode ser uma experiência assustadora. Você pode minimizar a tendência de choro do bebê acalmando-o e dizendo a ele que você está por perto e irá protegê-lo. De vez em quando, deixar o seu bebê engatinhar com você até o berço pode dar a ele a sensação de segurança e a você uma boa noite de sono.
O medo das crianças pode ser minimizado por brincadeiras imaginativas e livros. Brincar é uma excelente maneira de trabalhar as dificuldades que a criança pode apresentar. Alguns dos medos e preocupações do bebê podem ser trabalhados com vocês brincando juntos. Cada um finge ser um monstro uma vez, que é afugentado pelo outro. Alguns bons livros infantis mostram pequenos meninos ou meninas triunfantes sobre monstros da noite.
Além de livros, os pais podem utilizar marionetes para envolver os filhos, mesmo os mais velhos, em reconstituições vivas das preocupações e medos diários. A brincadeira com marionetes elimina parte da tensão associada a discussões sobre assuntos perturbadores da vida real. Colocar as preocupações nas marionetes da brincadeira tornam alguns tópicos proibitivos mais acessíveis.
Crianças pequenas precisam de um horário regular para ir para a cama. Muitos pais utilizam a hora antes do bebê dormir para ler livros com ele. Essa leitura incentiva o próprio bebê a ler e bebês de dezoito meses acham a rotina diária tranqüilizante. Assim, um ritual de horário de sono consistente é bom para o desenvolvimento cognitivo e emocional da criança e pode oferecer melhores noites de sono tanto para os filhos quanto para os pais.

Novos avanços

Como pai, sua função é apoiar seu bebê no caminho para a independência enquanto reconhece, ao mesmo tempo, sua necessidade de ser dependente de você. Algumas crianças têm grande dificuldade se esforçando para alcançar o próximo marco no seu desenvolvimento. Outras têm transições suaves de marco a marco. Alguns especialistas acreditam que o desenvolvimento depende principalmente do crescimento ou amadurecimento da criança, de maneira cíclica e com a maturidade em alta. Eventualmente, altos e baixos ocorrem.
Com essa visão cíclica do desenvolvimento, os pais podem observar como os novos avanços podem incomodar as crianças. Assim, com avanços em cada estágio do desenvolvimento, notavelmente quando começa a andar, o comportamento do seu bebê pode ficar desorganizado até que ele esteja certo de si mesmo e tenha consolidado suas novas habilidades.

Dividindo

Tanto bebês de dezoito meses quanto aqueles de dois anos não são muito bons em dividir brinquedos. Isso também é parte do desenvolvimento normal e deve ser visto assim. Da perspectiva do bebê, seus brinquedos são uma extensão dele mesmo. O fato de alguém tirar um brinquedo dele é uma afronta direta à sua integridade, é como se uma parte dele estivesse sendo tirada. Pais provavelmente não são realistas ao pedir que uma criança dessa idade divida um brinquedo com outras crianças. Você pode começar a trabalhar em direção a esse objetivo, mas pode ser muito cedo para esperar alcançá-lo.
Uma dica útil é ter alguns brinquedos especificamente para a brincadeira em grupo. Dessa maneira, os brinquedos não parecem pertencer a ninguém. Você também pode reduzir a agressão e as brigas sobre brinquedos com atividades planejadas. Elas devem ser criativas, bagunçadas e divertidas, como pintura à mão ou brincadeira com blocos, areia e material de moldar.

Dificuldades com as mudanças

Bebês de dezoito meses são muito ritualísticos. Eles podem ficar incomodados se você não cumprir rotinas exatamente da mesma maneira. Observando isso, você pode ajudar seu filho mantendo a rotina o mais consistente possível, assim ele não precisará tentar adivinhar o que vai acontecer a seguir. Também pode-se aliviar transições contando para as crianças o que elas devem esperar.

O comportamento tipicamente ritualístico de um bebê pode ser devido a sua limitada compreensão da língua. Algumas vezes somos levados a acreditar que bebês de dezoito meses sabem mais do que realmente sabem. De vez em quando, pais reavaliam por que a criança reagiu de determinada maneira. Talvez ela não tenha entendido o que foi dito ou perguntado. Embora bebês entendam boa parte, nem todas as idéias têm o mesmo significado para eles.
Por isso, as reações da criança a distúrbios na rotina tendem a ser mais intensas do que se acontecessem mais cedo na vida dela. A aflição e obstinação do bebê são, em parte, relacionadas ao início do desenvolvimento da consciência de si mesmo. Para o bebê, pai e criança estão se tornando duas pessoas separadas, o que pode causar um ajuste estressante.
As emoções de medo e preocupação podem parecer mais visíveis em bebês de 1 a 3 anos do que nos mais novos. Alguns bebês de dois anos parecem consideravelmente cautelosos quando confrontados com novas situações. Em particular fogos de artifício, aspiradores de pó e outros barulhos altos podem ser assustadores. Bebês nessa faixa de idade ainda não entendem a relação entre causa e efeito, e podem achar que esses acontecimentos ocorreram por causa de algo que fizeram.
Algumas crianças se prendem aos pais até que estejam confortáveis e seguros em um novo ambiente. Ainda em casa, se tudo estiver indo bem, a criança deve ser capaz de sair do seu lado para brincar sozinha em outro quarto. A preocupação da criança e o fato de ela observar você representa o início do senso de realidade. Isso é parte do processo de desenvolvimento, sem o qual a criança não se tornará uma pessoa independente e saudável.
Embora às vezes seu bebê seja difícil de lidar, essa é a idade na qual é ainda mais importante ser firme no estabelecimento de limites, consistente nas exigências e estimulante durante os bons e maus momentos. Seu papel é equilibrar o desejo do bebê por independência com sua necessidade contínua de afirmação, amor e afeição".

*Essas informações têm propósitos apenas informativos e não substitui o conselho e orientação de seu médico

15 comentários:

Maria José disse...

Muitos parabéns pelos 18 meses cheios de amor
bjokas

Márcia disse...

parabens lindo. sempre contagiando todos com sua esperteza e beleza.
que Deus esteja sem,pre presente.
Gi, maravilhoso este texto, seu blog ´daqueles q vaos sempre consultando a medida q o nosso bebe cresce.rs
beijo

mamãe Juliana disse...

parabens ao lucca....

beijokas ele esta fofo ....

Dany disse...

Oi Gi!
Que bom que vocês voltaram!
Parabéns para o lindo Lucca!
AMEI o texto.

Bj

Rita Bonifácio * Mãe do Davi* disse...

Parabéns..Lucca
Que Deus te abençõe muito !!!!!!
Otimo post..vou visitar o site..
bjos

**Valquíria** disse...

Oi Giovana!!!
Parabéns ao pequeno Luca por mais essa etapa, que venha muita sabedoria e saúde sempre!!!
Um grande beijo
Val e Gui

Dri disse...

Oi Gi, muito interessante mesmo essa matéria...
parabéns pro Lucca.
Beijokasssssssssss

Cél disse...

Parabéns pelo 18º mês !
Ótimo texto !
Sou estudante de Fonoaudiologia e uma das minhas matérias favoritas é a de Desenvolvimento Infantil.
Essa matéria que vc postou é bem completa e aborda assuntos de extrema importância !
Adorei !
Bjs.

Retrato de Mulher disse...

Parabéns Lucca ... e muitas felicidades !

bjs

Anônimo disse...

E SEU BEBE COMO ESTA A SE COMPORTAR NESSA FASE? SEGUE O QUE SE DIZ O TEXTO ACIMA, FALE A NOS SOBRE SUA EXPERIENCIA. ABRAÇOS. DANI.

Mae aprendiz disse...

Ola, adoro seu blog, ele me cativou e estou aprendo muito com ele, pode acreditar. Estou tentando escrever ja tem dias, rsss sou novata aqui.. Parabens pelo seu filho lindo, eu tenho um de 4 meses e ainda tomando muito baile,rsss Moro aqui tb , gostaria de manter contato mas nao sei como, nao vejo seu e mail aqui,

Mae aprendiz disse...

Acho que consegui,rsss parece que a mensagem foi,rss Meu email para contato : sol-litoral@hotmail.com. Seu blog tem me ajudado muito, fui mae pela primeira vez com 40 anos e estou aprendendo muito.. Fiquei super feliz ao ver que muitas ja passaram pelas mesmas dificuldades que passo. Bjs e se quiser me escreva que terei prazer em falar de mim e de meu filhote de 4 meses que me da um baile......rsss Bjs.

Laura disse...

Oi, meu filhinho está com 1 ano e 10 meses! Achei essa reportagem fantástica! Li 2 vezes. Estou passando por tudo isso com ele!
Foi um prazer passar por aqui.
Abraços,
Laura

Giovana disse...

DANI,

O Lucca tem uma rotina que eu procuro seguir sempre. E ele é um bebê tranquilo, sereno e seguro.
Não sei se é isso que vc. deseja saber, qualquer dúvida, me manda um e-mail para nascendoumamae@gmail.com e eu te respondo.

Beijinhos,

Gi

Giovana disse...

MÃE APRENDIZ,

Obrigada pelas palavras carinhosas!

Pode me escrever para nascendoumamae@gmail.com

Beijos,

Gi

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...