15 junho 2008

Você Conhece Bem o Seu Bebê?

Nós, adultos, e não só os bebês, mudamos de humor, de acordo com as circunstâncias. Há dias em que acordamos cantando, e outros em que fica difícil até sair da cama. Mas, temos um comportamento padrão, de acordo com nossa personalidade, que nos diferencia das outras pessoas.
Veja abaixo em qual dos perfis seu bebê se encaixa. É importante lembrar que nenéns não nascem prontos, mas vão se constituindo na relação com os outros, especialmente com a mãe. Assim, filhos de mulheres calmas costumam ser mais calmos; mães mais agitadas e tensas costumam ter bebês que reagem na mesma intensidade. Se você é assim, procure delegar funções para o papai, a vovó; enfim, alguém mais tranqüilo, até se acalmar. E, se não está satisfeita com o comportamento do seu filho, procure, antes de tentar modificá-lo, modificar o ambiente que o cerca.
EXPLOSIVO: Paciência é uma palavra que não lhe sai da cabeça. Afinal, o bebê reage, fortemente, a tudo o que acontece ao seu redor. Quando sente fome, grita. Se alguém o assusta ou desagrada, parece que o mundo vem abaixo. Além disto, custa a pegar no sono, dorme pouco e chora com extrema facilidade.
O que fazer? Não fale alto com ele. Abaixe o volume da TV e não permita que as outras crianças ou pessoas façam muito barulho, sobretudo na hora em que o bebê parece cansado e tenta adormecer. Evite tirá-lo do berço ou colocá-lo na banheira, com movimentos apressados e bruscos. Sua criança precisa de tranqüilidade. Experimente fazê-lo ouvir uma musiquinha suave. Este tipo de som acalma, mas não serve para aplacar a fúria de um bebê irritado, que já está aos gritos. Neste caso, a melodia não será sequer notada, virando um barulho a mais. Depois do banho, toque em sua pele. Massageie as costas, a região atrás das orelhas e as plantas dos pés. O efeito é super-relaxante.
SIMPÁTICO: Está sempre de bom humor, não estranha ninguém. Tem um apetite invejável, dorme como os anjos, raramente se mostra irritado na hora da higiene ou quando é preciso trocar a roupa. É o bebê-sorriso que não dá trabalho e todos elogiam.
O que fazer? Brinque, converse, estimule a curiosidade de seu filho, para que ele se desenvolva plenamente. E não somente para que seduza a família com suas gracinhas. Não deixe de repreendê-lo quando for necessário. Por mais simpático e fácil de conviver que seja, ele precisa de limites para crescer. Ainda que isso custe algumas lágrimas... Redobre a atenção com certos desconfortos, como fraldas molhadas, hora de comer ou cansaço. Este bebê é tolerante, não se queixa por pouca coisa. Por isso mesmo, você deve estar sempre de olho na rotina. Ele quer liberdade e espaço para se movimentar. Deixe que isso aconteça, mas abasteça a casa de dispositivos de segurança, como grades, protetores de tomadas e de portas. Bebês independentes e silenciosos, muitas vezes, aprontam suas artes, sem serem notados.
DORMINHOCO: É do tipo encheu a barriguinha, dormiu. Acorda, implacavelmente, quando quer mamar. Depois, vira para o lado e...pronto! A família já anda preocupada, achando que talvez ele exagere nas horas de sono, que deve ficar mais tempo acordado. Parece até que não está ligando para o que acontece ao redor, o que não é verdade. Espere só para ver!.
O que fazer? Verifique se o quarto tem sempre as cortinas fechadas, ficando em permanente penumbra. Desta forma, funciona como uma espécie de convite ao sono. Troque a roupinha dele, antes da mamada, para que vá despertando suavemente. Não faça intervalos longos entre as mamadas. Assim, ele ficará mais tempo acordado. Aproveite estes momentos para conversar bastante com o bebê. Quando seu filho estiver desperto, experimente circular com ele pela casa, mostrando tudo que tem cor, movimento e que, portanto, pode agradar. Faz tempo bom? Leve-o até a rua. O passeio pode ser bem divertido para quem anda descobrindo o mundo.
ATIVO: Dorme pouco, quase não cochila, durante o dia. Está o tempo todo de olhos bem abertos, atento, ligado. Não quer saber é de ficar sozinho, nem por um instante. Precisa, sempre, de alguém ao seu lado, brincando, contando histórias, cantando ou conversando com ele. A curiosidade insaciável parece ser a sua marca registrada.
O que fazer? Pendure no berço móbiles (musicais ou não) de cores atraentes. Alguns brinquedinhos também podem distrai-lo, enquanto tem que esperar, por exemplo, pela hora de comer. Mantenha-o por perto, enquanto você arruma a casa ou vê o jornal da TV. Para ficar feliz, algumas vezes, basta ver e ouvir as vozes das pessoas queridas. Aos poucos, estabeleça uma certa rotina. Afinal, mesmo os bebês mais atentos e curiosos precisam de algumas sonecas durante o dia, principalmente a que vem depois do banho ou do almoço. Ele quer descobrir, experimentar, mexer, brincar. Brinque, ofereça estímulos suficientes, mas não exagere. Ou terá em casa uma criança excitada, nervosa e chorona. Quando se mostrar irritado, esfregando os olhinhos, é sinal de que a brincadeira acabou: está na hora de ir para a cama. Mesmo que você tenha chegado do trabalho há quinze minutos e esteja ávida por ficar se divertindo com seu filho.
TÍMIDO: No berçário, já era o mais calminho. Agora, que tem alguns meses, seu passatempo favorito é ficar no colo da mamãe ou do papai observando o que acontece em volta. Estender os bracinhos quando alguém oferece colo? Nem pensar! Este não é o tipo de bebê que se dispõe logo a desbravar o desconhecido. Avesso às aventuras, prefere, ainda, um porto seguro.
O que fazer? Desde pequenino, respeite o direito que seu filho tem de não querer ir para o colo de pessoas estranhas. Precisa de um tempo para se acostumar com elas. Forçá-lo, jamais! Estimule o contato dele com crianças da mesma idade. Entre mordidas e brincadeiras, irão aprendendo a dividir e a conviver. É uma experiência riquíssima para os mais tímidos. Procure não superproteger, ao contrário, incentive as iniciativas. Afinal, tombos e arranhões não são o fim do mundo para este nosso explorador. Mostre ao bebê, sempre que possível, que o mundo é muito maior do que o colo da mamãe. Incentive-o a descobri-lo, a se aventurar um pouco. E, é claro, cada vez mais.
fonte: Dra. Cristina Milanez Werner, mestre em Psicologia Clínica e especialista em Terapia Familiar Sistêmica

10 comentários:

doce isabelle disse...

O flash Back ficou lindooo!!

Seu blog só tem reportagens interessantes, estou sempre dando uma passadinha aqui!...acho que a Isabelle tem uma mistura do perfil simpático com o ativo, salvo alguns ítens como "apetite invejável", esse ela não tem. Passa no meu blog, Tem uma "plakinha" para você.
Bjs

gasparzinha disse...

A Beatriz tem mais caracteristicas do activo e do simpático, e vou aproveitar algumas dessas dicas.

Já fiz o teu pedido à gaiata e deixei-lhe o teu mail.

Beijinhos

Maria José disse...

Mais um belo post que maravilha de blog
O Lucca está cada vez mais lindo
bjs

Tati&Pedro disse...

Adorei o post!!!
Meu filhote se encaixa no perfil explosivo :(. Ele é um bebezinho agitado e cheio de birras.
Uma otima semana pra vocês.
Bjocas

Nanda disse...

Adorei! Minha Giovanna é explosiva, mas acorda num bom humor danado, distribui sorrisos e se distrai vendo TV, olhando as coisas ao redor, etc.
Bjs.

Joana Baptista disse...

Olá querida mamã
Deixei um miminho da amizade no meu blog, espero que gostes
beijinhos e miminhos

Roberta disse...

Ôhhh meu Deus, que bebê mais lindo e fofo, dá vontade de apertar. O que reparei nas fotos do flash back é que o cabelinho dele está clareando, não é? Pôxa giovana, parabéns pelo lindo filho e obrigada por sua visitinha ao nosso blog. Bjs

Vivi a mamãe do Francisco disse...

Adoreiiiiiiii a materia...

Sempre temos algo para aprender sobre nossos pequenos né...

Beijos

Tânia,Ângelo e Martim disse...

Lindo este post o Martim é o simpático! ehehehe!
Beijocas nossas

Mãe Polenta disse...

O meu bebê é simpático e o Lucca?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...