03 abril 2008

Confissões...

Hoje, depois de dois meses de nascido o Lucca, eu confesso que passei por momentos difíceis, tanto físicos como emocionais. Primeiro, me frustrei de não ter tido um parto normal. Acredito que esse fato me deixou nervosa demais e me fez bloquear a anestesia (tive que tomar três vezes a raqui) e sentir mais dores na recuperação do que normalmente eu, a super Giovana, sentiria...rs**.
No começo odiei o anestesista, fulminei com pensamentos o meu médico, chorei com a cicatriz e me senti marcada. Mas na minha vida é assim, mesmo quando dá errado, dá certo. Hoje, agradeço a Deus por ele ter vindo de cesárea, por causa do seu tamanhão, e porque foi dessa forma que ele chegou bem aos meus braços.
Aos poucos, as dores se foram completamente, meu corpo voltou ao que era no passado, até o tamanho dos seios (apesar do leite que alimenta unicamente meu mamifero), a cicatriz está diminuindo e os ódios e traumas se foram.
Recadinho para as futuras mamães: se desejam ter seu bebê nos braços, seja de que forma for, não encasquetem com um tipo de parto para não se frustrar. Devemos confiar em nosso médico e acreditar que ele sabe o que é melhor pra gente naquele momento e ponto. Dor, a gente vai sentir de qualquer jeito, no PN ou no PC, o bebe chegará também de qualquer jeito e a recuperação virá logo depois também de qualquer jeito...então, que seja o que Nossa Senhora do Bom Parto escrever.
Bom, logicamente, a conversa não termina por aqui. No hospital, eu estava meio dopada com os medicamentos para dor, o que não me impediu de dar muito de mamar ao meu filhote, maaaaaas, me impediu de sentir o tamanho do "pepino" que eu estava levando pra casa, senão eu não estava sorrindo nas fotos da alta...ahahahah!!!
Na primeira noite em casa, num dos poucos momentos em que eu consegui domir, acordei com ele com o nariz ou vias aéreas tapadas com aqueles restinhos de líquido, ou sei lá o que do parto. Numa ação de super-mulher, com o Lucca chorando, peguei o aspirador nasal e coloquei nele pra puxar o que estava ali. Isso com o super-apoio do super-pai e da super-avó (presenças importantíssimas no começo). E com o próprio chorinho, mais a aspiração, o vilão desentupiu o caminho. Só que eu entrei em parafuso e berrei: -"Meu Deus!!! Nunca mais vou poder dormir, sob pena desse menino morrer e eu não perceber!!! O que que eu vou fazer da minha vida !!!"
E ainda tinha que ouvir a mulherada, mães experientes, que me diziam: -"Ai, é muito bom ser mãe, né..." - Todas loucas, eu pensava, e perguntava: - "O que é bom? Não poder mais dormir? Ter alguem totalmente dependente de mim pra sempre e não poder voltar atras, ou tudo isso junto? ahahaha!!!
Visitas, então, eu odiava pensar que viria alguém em casa. O motivo eu desconheço, mas odiava. Devo ter sido mal educada com muita gente, não atendi telefonemas, não respondi e-mails e evitei o quanto eu pude receber gente em casa.
Outro recadinho: é punk mesmo, pra todo mundo é assim e todas sobrevivem, então, não se desesperem...o primeiro mês é fase de adaptação, de conhecimento, de aprendizado. Li que a gente não deve se sentir um monstro se não amar compulsivamente o neném logo que ele nasce. Lógico que a gente ama, quer o bem , cuida dele, mas às vezes a gente se pergunta mesmo se fez o certo resolvendo engravidar, se a gente nasceu mesmo pra isso, afinal ele está trazendo uma série de mudanças , tanto em seu corpo, quanto em sua vida. E isso é complicado...mas passa, e você vai amá-lo loucamente rapidinho...rs**.
Outra coisa: não pense nos outros e sim em você. Respeite os seus limites e as suas vontades. Não quer, não quer e ponto. Os outros com certeza vão entender.
Muiiiito importante também é ter um papai preparado para ajudar nos primeiros dias, tanto no apoio emocional quanto no prático, e ter, se possível, as duas mulheres mais importantes da sua vida naquele momento ao seu lado (no meu caso, minha mãe e minha sogra). Elas vão cuidar da casa, fazer o almoço, lavar aquela loucinha, despachar gente chata com toda finesse do mundo, e se for da vontada da mamãe, como aconteceu comigo, ajudar com o bebê, não só dando opiniões, mas tomando conta dele, olhando nos olhos dele, anotando cada movimento, enquanto a gente dorme e se acalma e refaz com o sono. Amo as duas que me ajudaram e ainda ajudam muito. E o papai também, que agora já não precisa mais tomar conta do Lucca e de mim e dorme tranquilo, porque acho muita sacanagem ficar fazendo o marido levantar toda noite, tendo que trabalhar no dia seguinte. Só aceito ajuda dele quando é extremamente necessário, já que quando o Lucca fica muito bravo, só se acalma nos braços do papai...lindos!!!
Muiiito importante também é, durante a gravidez, ler muito sobre os cuidados do bebê. O livro da Encantadora de Bebês me foi muito útil para entender o que o Lucca quer dizer quando chora e para evitar coisas que o irritem, como a superestimulação. Uma das coisas que aprendi é: não é porque ele chora que está triste...rs**. É o jeitinho que ele sabe para passar seus recados. Hoje conheço cada chorinho e acerto quase sempre com ele.
No berçário, antes de sair, pedi pra acompanhar o banho, a troca de fraldas e os cuidados com o umbigo, já que nunca havia feito nada disso nunca na vida. Em casa, minha sogrinha deu o primeiro banho comigo e o segundo já dei sozinha. A banheira com suporte é uma ótima dica de compra. Dá mais segurança para as mães inexperientes e evita qualquer acidente.
Hoje em dia, já adoro receber visitas, atender telefonemas e passear. Tudo voltou ao normal e sou sociável de novo. É um período que passa e nunca mais volta. Por isso, devemos enfrentá-lo com calma e até, de certa forma, curtí-lo. Uma coisa que me ajudou muito e me fez voltar a dormir melhor foi o que a madrinha do Lucca me disse quanto ao meu " parafuso " : - os bebês nascem para viver e não para morrer -. Tão simples e tão profundo, a maior verdade que eu já ouvi. Isso me fez entender que eu não preciso ficar " secando " o coitado 24 horas por dia. Ele respira sem mim, funciona sem mim, só preciso cuidar dele e supervisioná-lo, ajudando quando for preciso. Paulinha, muito obrigada também!!
Uma Dica: Se nas primeiras semanas você conseguir sair pra fazer as unhas e os cabelos, você se sentirá muito bem. E se tiver leite, aprenda rápido a tirá-lo e congelá-lo. Sem neuras! Isso será muito útil no futuro quando quiser sair um pouco, ir ao shopping, ao salão, comer uma pizza com o marido (contato que faz muita falta), e alguém, tipo uma vovó, ficar cuidando do bebê. Você vai poder sair tranquila, que se ele tiver fominha, é só dar o leitinho armazenado. Digo isso porque no segundo mês seu corpo passará a equilibrar a produção de leite e pode ser que não sobre para armazenar. Comigo está sendo assim. E olha que tinha leite pra uma creche...rs**.
E, finalmente, outra coisa utilíssima, é comprar um óleo de massagem para bebê. Quando as coliquinhas chegarem, santo remédio é fazer Shantala. No começo, eu tinha preguiça só de pensar, achava muito bicho-grilo pro meu gosto. Mas, depois de uma travada de quase 24 horas no intestino do Lucca, vi minha mãe fazendo, e imediatamente, aquele cocozinho lindo saindo, aprendi e aplico quase todos os dias antes do banho da noite. Ele relaxa, toma banho, mama e dorme, dorme muiiiito.
Bom, falei demais. Acho que nunca tinha falado tanto nesse blog!!!!
Mas faltou só falar mais uma coisa: é muito gostoso quando ele dorme e eu fico livre para algumas atividades, tipo agora, na Internet, ou vendo um filme, mas na hora que ele acorda e dá aquele chorinho, minha vida ganha sentido de novo, sinto-me a mais feliz das mortais. Corro pra ele, cubro de beijos e encho a boca pra dizer: -"O que foi, meu filho!!!!".
Gente, as malucas estavam certas: É MUITO BOM SER MÃE!


A risadinha dele, a respiração, os resmungos, os cocôs, tudo é motivo de alegria. A vida pode não ser fácil, mas é simples. A felicidade está em coisas simples e um filho é a coisa mais maravilhosa do mundo pela simplicidade com que ele chega e permanece em nossa vida.


♥ ♥ ♥ Lucca, sou apaixonada por você, garoto ♥ ♥ ♥

11 comentários:

Glauci disse...

Eu tbm adoro o seu blog... venho aqui todos os dias pra ver as novidade... Mto lindo seu relato sobre seu parto e pós-parto, é mto bom lermos isso pq já ficamos preparadas pra "surpresas" de ser mãe... E vc está uma mãe mto linda...
Bjos

garotosdaminhavida disse...

Obrigada você. Eu já tinha tomado a liberdade de por um link do seu no meu... rs. Quanto ao depoimento, nossa, quanta verdade. Acho que todas mães passam por isso. Eu mesma, depois do nascimento do João Miguel senti-me parecida. Lembro-me da amamentação, de como foi difícil no começo, por conta das dores. Depois tudo isso passa e tudo se torna pra lá de prazeroso! Parabéns mais uma vez pelo seu blog, e pelo seu Lucca que é lindíssimo. Beijinhos

Dri disse...

Oi Gi...também já passei por isso...aos poucos a vida vai tomando seu rumo novamente e as coisas vão se tornando cada vez mais fáceis...Agora estou pensando em como vai ser desta vez, está tudo tão diferente as circustâncias são outras, o momento é outro...talvez por isso eu esteja sentido e apreciando cada minutinho muito intensamente.
Adoro vir aqui no seu blog e ver a carinha linda do Lucca sorrindo, fico imaginando como vai ser o sorriso do meu baby e isso é maravilhoso. Obrigada por me proporcionar momentos como esses...
Um big beijo. DRI

Glauci disse...

Oi Giovana...
Nem precisa postar esse comentário...
Queria te pedir um favor eu mudei meu link e gostria que vc mudasse ele aqui no seu blog... mto obrigada... Bjo

...Carina & Pedro... disse...

Eu também não tive o parto que imaginava, passei por situações como você, mas olhando para trás passava tudo de novo só para ter o meu bébé lindo nos braços. Custou muito e um dia vou escrever tb o meu "parto", mas agora quero é curtir o meu bébé e esquecer o resto...Eles são a nossa vida e fazem nos esquecer tudo.
Beijo grande.
Carina&Martim

Mamãe Pati e Bebê disse...

Foi uma delicia ler esse post... fico imaginando qdo minha hr chegar... realmente é uma chuva de mudanças... espero me preparar tão bem como vc!!!!!!
bjinhos!!!!

jucomjesus disse...

Oi... fiquei com lágrimas nos olhos ao ler seu depoimento... puxa é isso tudo!!! mesmo, asssim que me senti, achei o máximo seu relato. Sempre entro no seu blog e vejo as fotos e sempre pensei, deve ser sempre lindo asim com eles, o beb~e dela acho q. nem chora e vc. me mostrou q. somos cercados de sentimentos a todo tempo e q. devemos absorver sempre o melhor!!!
obrigada!!!
Hum... no meu caso meu peso ainda não voltou...snif... snif... e isso tá sendo muito dificil!!!
Quanto a produção de leite no 2° mês é super verdade, eu até cheguei a pensar q. não tenho mais leite, mas vejo q. é normal!!!
bjos!!

Marcia Gomes disse...

Mesmo sendo um texto grande, não consegui parar de le-lo.
Otima definição de ser mãe.

Van disse...

Gi, adorei esse post... acho que viagei varias vezes pensando... nossa e quando for comigo??

Imaginei minha mãe e meu marido me ajudando...

E vc é uma ótima mãe!!!

Beijos

Carol B. disse...

Oi, sou nova no blog e gostaria que você compartilhasse algumas dicas sobre bebês comigo.
Adorei o seu! :)

KEL & LAUREN disse...

Olá, bom dia!!
Gostaria d parabnizar vc pelo seu blog,eu A D O R E i!!!
Sou mãe de uma menininha de 06meses chamada LAUREN,moramos aki em PELOTAS-RS. Somos novas na area da internet,mas com certeza irei acompanhar todos os seus comentarios e dicas do seu blog.
Um gran bju e q DEUS abençõe kda vz + sua linda família :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...