16 janeiro 2008

Assunto sério - lidando com a dor do parto!!!! Ai meu Deus!!!! Parte 1

A DOR DO PARTO

A dor do parto é diferente dos outros tipos de dor, por várias razões. Primeiro porque é uma dor intermitente. Vem com a contração, começando fraquinha e aumentando, até atingir o pico, quando começa a diminuir e desaparece completamente. No intervalo entre as contrações não há dor, pressão, incômodo algum. É como se nada tivesse acontecido há 4 minutos. Nesses intervalos dá tempo de relaxar, meditar, respirar profundamente e muitas vezes dormir.
Outro fato é que a intensidade da dor do parto varia de mulher para mulher e de gestação para gestação de acordo com diversos fatores: limiar individual, grau de relaxamento, intimidade como o ambiente, apoio de familiares e profissionais, preparação e outros tantos… É uma dor diretamente influenciada por fatores psicológicos, funcionais e emocionais. Quando estamos com medo, ficamos tensas, e a nossa tensão faz a dor aumentar. É um ciclo bem conhecido, o ciclo do medo-tensão-dor. Vale para qualquer tipo de dor.
Um terceiro fator que às vezes soa estranho é que a dor do parto é "esquecida". É freqüente ouvirmos as mulheres dizerem que tão logo o bebê está nos braços, a dor já foi completamente esquecida. É diferença daquelas cólicas menstruais que lembramos, algumas realmente inesquecíveis. Ou aquela dor de dente que destruiu nosso fim-de-semana. Se nos esforçarmos um pouco, dá pra sentir a danada de novo!
O certo é que uma boa experiência de parto significa, entre outras coisas, lidar com a dor normal inerente ao processo de abertura do colo do útero e aliviar ou eliminar as dores desnecessárias, provenientes de tensões, medos, ambientes impróprios, manobras médicas discutíveis ou presença de pessoas indesejadas.
E embora essa dor seja tão peculiar, lidar com ela não é muito diferente do que lidar com outras dores. Os recursos que podemos usar são universais: água morna, respiração, distração, encorajamento, carinho, apoio, balanço ritmado, massagem, relaxamento, meditação, oração, visualização, pressão, alongamento, respiração, vocalização, movimentação do corpo, ouvir música, cantar, gritar, gemer, chorar.
É claro que nem todos os recursos funcionam da mesma forma para toda mulher. Somos indivíduos diferentes. Nossos desejos, nossos desafios, o que nos move, tudo é individual. É bom lembrar que por isso mesmo qualquer procedimento médico ligado ao parto, não só aqueles ligados à dor, devem ser adotados individualmente e nunca rotineiramente. Rotina é para máquinas, não para gente e menos ainda para parturientes.
Quando nos sentimos confortáveis e seguras, aumentamos nossa capacidade de relaxar e assim nos concentrar no trabalho de parto. O trabalho de parto é feito de esforço, concentração, dedicação. Existem elementos ambientais, recursos humanos e técnicos que podem ser de grande ajuda nessa tarefa intensa de dar à luz um bebê.

Ana Cris Duarte
Amigas do Parto

Um comentário:

Família Feliz disse...

Estamos aqui na torcida !
Tenho certeza que quando menos você esperar já nasceu, principalmente se ele for ansioso, apressado e perfeccionista como a mãe dele é...rsrsrsrs!
Beijinhos, te amo muito,
Mãe

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...